5 armas usadas pelos pracinhas na 2ª Guerra

pr

Foto ilustrativa dos pracinhas em batalha

Conheça cinco armas utilizadas pelos pracinhas brasileiros na 2ª Guerra Mundial. Durante toda a preparação antes de embarcar rumo ao front os armamentos nacionais tinham doutrina francesa, oriundos ainda da Primeira Guerra. Somente quando chegaram na Itália, nas vésperas de entrarem em combate, o Brasil recebeu os equipamentos adequados e os treinamentos mais apropriados. Como já foi comentando neste blog (https://jornalismodeguerra.wordpress.com/2018/03/07/ignorancia-fez-brasil-rejeitar-local-de-treinamento-mais-adequado-para-a-2a-guerra/#more-258). Confira um pouco sobre as principais armas que os soldados brasileiros usaram na Europa.

 

mi garand

Fuzil M1 Garand

Fuzil semiautomático criado em 1935 nos EUA.

Calibre: 7,62 x 63 mm

Velocidade inicial: 822,96 m/s

Comprimento total: 109,22 cm

Comprimento do cano: 60,96

Peso: 4,3 kg

Springfield

Fuzil Springfield

Criado nos Estados Unidos no ano de 1903 e foi produzido até 1949.

Calibre: .30-06

Peso:3,910 kg

Capacidade: 5 cartuchos

Comprimento Total: 1,115 cm

 

Browning .30

Metralhadora Bronwning M-919

Metralhadora de fabricação americana, que foi muito utilizada durante o século XX.

Peso: 14 kg

Cartucho: .30-06

Cadência de tiro: 400 – 600 disparos/minuto

Velocidade de saída: 850 m/s

 M2_Browning,_Musée_de_l'Armée

Metralhadora Bronwning M2

Criada no fim da Primeira Guerra Mundial por John Browning. Sua concepção é semelhante ao projeto da metralhadora Browning M1919, que utilizava o calibre .30-06. A M2 usa o maior e mais poderoso calibre .50 BMG

Peso: 38 kg

Cartucho: .50 BMG

Calibre: 12,7 x 99 mm

ultima

Submetralhadora Thompson M1A1 .45 ACP

Calibre: .45 ACP

Sistema de Operação: Blowback, ferrolho aberto

Regime do Fogo: Semi-Automático e Automático

Peso: 4,7 kgs com carregador de 30 cartuchos

Capacidade: 20 ou 30 cartuchos

Comprimento Total: 813 mm

Cadência de Tiro: 700 Tiros Por Minuto

5 Comentários

  • qual era a faca utilizada pelos tenentes da FEB

    Curtir

  • O armamento de infantaria do Exército Brasileiro no período que precedeu a entrada do país na 2aGM era em sua maioria de procedencia alemã (fuzis Mauser e pistolas Luger) e dinamarquesa (Mtr. Madsen). A sua doutrina de emprego poderia ser francesa mas as armas não o eram, à exceção de alguns revolveres D’ Ordenance Mdle. 1892, erroneamente chamado de Lebel, e revólveres do tipo Nagant, oriundos da Bélgica.
    Curioso também você mencionar que estos armamentos eram todos oriundos da Primeira Guerra sendo que a maioria do armamento americano que os substituiria, à exceção do Fuzil Garand e da Mtr. Thompson, também o era!

    Curtir

  • Dentre as principais apresentadas, faltou a submetralhadora M3 (Grease Gun), também muito utilizada, pelos pracinhas, na campanha da Itália.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s