5 armas usadas pelos pracinhas na 2ª Guerra

pr

Foto ilustrativa dos pracinhas em batalha

Conheça cinco armas utilizadas pelos pracinhas brasileiros na 2ª Guerra Mundial. Durante toda a preparação antes de embarcar rumo ao front os armamentos nacionais tinham doutrina francesa, oriundos ainda da Primeira Guerra. Somente quando chegaram na Itália, nas vésperas de entrarem em combate, o Brasil recebeu os equipamentos adequados e os treinamentos mais apropriados. Como já foi comentando neste blog (https://jornalismodeguerra.wordpress.com/2018/03/07/ignorancia-fez-brasil-rejeitar-local-de-treinamento-mais-adequado-para-a-2a-guerra/#more-258). Confira um pouco sobre as principais armas que os soldados brasileiros usaram na Europa.

 

mi garand

Fuzil M1 Garand

Fuzil semiautomático criado em 1935 nos EUA.

Calibre: 7,62 x 63 mm

Velocidade inicial: 822,96 m/s

Comprimento total: 109,22 cm

Comprimento do cano: 60,96

Peso: 4,3 kg

Springfield

Fuzil Springfield

Criado nos Estados Unidos no ano de 1903 e foi produzido até 1949.

Calibre: .30-06

Peso:3,910 kg

Capacidade: 5 cartuchos

Comprimento Total: 1,115 cm

 

Browning .30

Metralhadora Bronwning M-919

Metralhadora de fabricação americana, que foi muito utilizada durante o século XX.

Peso: 14 kg

Cartucho: .30-06

Cadência de tiro: 400 – 600 disparos/minuto

Velocidade de saída: 850 m/s

 M2_Browning,_Musée_de_l'Armée

Metralhadora Bronwning M2

Criada no fim da Primeira Guerra Mundial por John Browning. Sua concepção é semelhante ao projeto da metralhadora Browning M1919, que utilizava o calibre .30-06. A M2 usa o maior e mais poderoso calibre .50 BMG

Peso: 38 kg

Cartucho: .50 BMG

Calibre: 12,7 x 99 mm

ultima

Submetralhadora Thompson M1A1 .45 ACP

Calibre: .45 ACP

Sistema de Operação: Blowback, ferrolho aberto

Regime do Fogo: Semi-Automático e Automático

Peso: 4,7 kgs com carregador de 30 cartuchos

Capacidade: 20 ou 30 cartuchos

Comprimento Total: 813 mm

Cadência de Tiro: 700 Tiros Por Minuto

5 Comentários

  • qual era a faca utilizada pelos tenentes da FEB

    Curtir

  • O armamento de infantaria do Exército Brasileiro no período que precedeu a entrada do país na 2aGM era em sua maioria de procedencia alemã (fuzis Mauser e pistolas Luger) e dinamarquesa (Mtr. Madsen). A sua doutrina de emprego poderia ser francesa mas as armas não o eram, à exceção de alguns revolveres D’ Ordenance Mdle. 1892, erroneamente chamado de Lebel, e revólveres do tipo Nagant, oriundos da Bélgica.
    Curioso também você mencionar que estos armamentos eram todos oriundos da Primeira Guerra sendo que a maioria do armamento americano que os substituiria, à exceção do Fuzil Garand e da Mtr. Thompson, também o era!

    Curtir

  • Dentre as principais apresentadas, faltou a submetralhadora M3 (Grease Gun), também muito utilizada, pelos pracinhas, na campanha da Itália.

    Curtir

Deixe uma resposta para Paulo Soukup Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s