FEB: cidades italianas se dizem prontas para receber brasileiros

Com as medidas de combate à pandemia sendo minimizadas, devido à redução de casos graves em território italiano, para este ano, quem estiver com o ciclo vacinal completo, pode conhecer o antigo front dos pracinhas.


O próximo dia 25 de abril marcará os 77 anos de libertação da Itália do nazifascismo. Lá, é feriado e há eventos que costumam reunir dezenas de brasileiros que comparecem em festividades feitas nas cidades libertadas pelos pracinhas da FEB. Nos últimos dois anos, por conta da pandemia, as celebrações se restringiram a reuniões simbólicas, organizadas por algumas prefeituras ou pelo pessoal da “Colonna della Libertá”, movimento que reúne entusiastas de reencenação histórica de países que combateram no front italiano. A Itália estava fechada para turismo.

Com as medidas de combate à pandemia sendo minimizadas, devido à redução de casos graves em território italiano, para este ano, quem estiver com o ciclo vacinal completo, pode conhecer o antigo front dos pracinhas.

Montese está preparada

As principais cidades em que a FEB lutou, se dizem prontas para receber os turistas. Segundo Erminio Bernardi, Delegado de Cultura da prefeitura de Montese (em que os soldados brasileiros tiveram centenas de baixas para vencer os alemães), se a pandemia permitir, há a intenção de atividades de memória em Monte Terminale, na Lastra Bianca, no Museo di Iola e no de Montese, além de outros postos em que os aliados e partigiani lutaram nas proximidades da cidade.

Montese está preparada (Foto: Booking.com)

Ermidio lembra ainda que há bons hotéis a preços acessíveis, e que se as regras não mudarem, em todos eles serão exigidos o “passe verde”, que nada mais é do que o comprovante de vacinação.

O evento principal, em Montese, será no dia 25 de abril, às 14h30, com desfile popular e de autoridades, encerrando com a deposição de coroas de flores no monumento dedicado à FEB e visita ao museu histórico do município. A “Torre de Montese” será iluminada com as cores verde e amarela. “Para quem desejar (mediante reserva) também é possível visitar uma queijaria onde é produzido o maravilhoso queijo Parmigiano Reggiano, produzido nas montanhas do entorno”, explica o delegado Ermidio.

Gaggio Montano

O prefeito de Gaggio Montano (ao lado de Monte Castello), Giuseppe Pucci, informou que teve reunião com militares brasileiros e que ficou verbalmente combinado que as atividades, na região dele, serão entre os dias 23 e 25 de abril.

Gaggio Montano (Foto: Viaggiare Mondo)

No dia 23 de abril a solenidade será em Ponte Silla, às 08h25, com a inauguração de um painel para a FEB. No dia 24 de abril haverá concentração de civis e militares em Bombiana, às 11h, com almoço no restaurante Morsiani, em Abetaia (para autoridades).

No dia 25, a reunião será em Sasso di Rocca, às 10h e em Guanella, às 11h30. Segundo Pucci, está prevista a presença do Comandante do Exército Brasileiro, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, de delegações do DPHCEx e do Centro de Comunicação Social.

Os organizadores da Colonna della Libertá confirmaram que farão os eventos de reencenação na Linha Gótica, inclusive com veículos da época transportando veteranos do conflito.

No Brasil

Por aqui, uma das únicas agências especializadas no roteiro da FEB, a “A Cobra vai fumar Tour”, informou que o roteiro para 2022 “está em planejamento”, porém, ressaltou que já oferece passeios alternativos no próprio território nacional, como excursões no Rio de Janeiro (museus e Monumento Nacional aos Mortos na Segunda Guerra Mundial) e em Curitiba (Museu do Expedicionário).

Militares foram na frente, porém, não detalham

ntecipando as comemorações dos 77 anos da FEB na Itália, um general e dois oficiais superiores estiveram na Itália para recepções na região de Monte Castello, entre 16 e 23 de fevereiro de 2022.

Militares brasileiros que foram na viagem e militares que servem na Itália, no local em que morreu o Frei Orlando, em Bombiana. (Foto: DPHCEx)

Por se tratar de dinheiro público e de uma viagem oficial, possivelmente de planejamento, a Diretoria do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército – DPHCEx foi procurada com as seguintes perguntas:

1. Qual o objetivo da visita da comitiva do DPHCEx ao T.O. da FEB?

2. Quais dos objetivos já podem ser dados como completos?

3. Qual o prazo de cumprimento dos objetivos não completados?

4. Quais os nomes, patentes e cargos ocupados na DPHCEx, dos membros da comitiva? Quem do pessoal da Aditância em Pistoia e Roma participou?

5. Qual o investimento em recursos públicos para a viagem da comitiva? Caso tenha sido publicado em boletim interno ou Diário Oficial, poderiam enviar cópias ou o número da edição?

6. Quais eventos ficaram combinados e quais cidades serão incluídas nas comemorações de 2022? Quais as datas?

7. Quanto o Exército brasileiro, via DPHCEx ou outros departamentos, pretende investir em capital humano e financeiro para as atividades exclusivamente voltadas para as comemorações dos 77 anos da FEB na Itália?

8. Qual o público alvo e a expectativa de público nos eventos da Itália este ano?

Os militares não responderam e por isso foi acionada a Lei de Acesso à Informação, onde a DPHCEx foi legalmente obrigada a responder. No entanto, a resposta veio de forma incompleta, apenas com a data, com a patente dos oficiais que viajaram e nada mais, nem mesmo os nomes.

Quanto aos valores, foi pedido que houvesse checagem no Portal da Transparência do Governo Federal. Tal procedimento foi feito usando o nome do general Carlos Augusto Ramires Teixeira, diretor da DPHCEx, que mesmo não informado como participante da comitiva, foi confirmado por fotos da própria Diretoria, como sendo o general que visitou a Itália. No entanto, a viagem ainda não constava no Portal. Havia somente três registros: Port-au-Prince/Haiti (2016), Assunção (2017) e Lisboa/Portugal (2021).

Por conta da falta de informações, houve recurso que foi aprovado pelo Comando do Exército em Brasília, também via Lei de Acesso à Informação e agora a DPHCEx tem até o dia 05 de abril (45 dias após o primeiro pedido), para fornecer os dados. Caso as informações cheguem antes do prazo, serão inseridas neste texto e também poderão dar origem à outra publicação.

Para entrar na Itália

De acordo com a agência alemã, Deutsche Welle e a embaixada italiana, a Itália “permite a entrada de passageiros com certificado de vacinação completa, de recuperação ou teste molecular ou de antígeno negativo realizado até 72 horas antes do embarque. Eles deverão também preencher o formulário de localização de passageiros em formato digital ou em papel”. 

Localidade de Bombiana. (Foto: Flickr)

As vacinas aceitas são Pfizer-BioNTech, AstraZeneca, Janssen (Johnson&Johnson) e Moderna. “O comprovante emitido pelo Brasil por meio do aplicativo ConecteSUS (de preferência em inglês) é aceito pelas autoridades italianas”, completa a Deutsche Welle.

Já a agência italiana, ANSA, informa que “a partir do próximo dia 1º de abril, a Itália relaxará grande parte das regras sanitárias, mantendo apenas a obrigatoriedade do uso de máscaras nos transportes públicos e em locais fechados e a necessidade de apresentação do passe verde simples (vacinação, cura ou teste negativo) para entrar em alguns locais específicos e com maior aglomeração”.

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s