Websérie gratuita retrata luta de brasileiros contra nazi-fascismo na II Guerra

021midia_herois_webserieJá está no ar a websérie “Heróis da FEB”, que conta a história de um grupo de soldados que luta contra as forças nazi-facistas durante a Segunda Guerra Mundial pela Força Expedicionária Brasileira – FEB.

O conteúdo pode ser acessado gratuitamente pelo Youtube (veja no final da matéria) e conta a história de soldados mineiros que lutaram na Batalha de Montese, uma das mais sangrentas da campanha brasileira na Itália em 1944-45.

Serão cinco capítulos, um por semana. A produção é 100% Mineira e contou com os atores Adriano Gilberti, José Roberto Pereira e Leonardo Fernandes (eleito melhor ator de Minas Gerais pelo Prêmio Simparc 2011). A direção é de Guto Aeraphe, jovem diretor que caprichou nos detalhes.

A locação do filme foram as montanhas de São João Del Rey/MG, que em alguns aspectos lembram o relevo dos locais onde os brasileiros tiverem de combater em temperaturas negativas e na neve da região dos Apeninos.

FEB

Com o Brasil aliado aos Estados Unidos, Inglaterra e União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial, 25 mil soldados foram enviados para combater em solo italiano entre agosto de 1944 e abril de 1945.

Os brasileiros da FEB foram destacados para a região dos Apeninos, uma cadeia montanhosa que praticamente divide a Itália em duas partes, mais ou menos como é a Serra de Maracaju em Mato Grosso do Sul. Sem tomar a cadeia montanhosa, não seria possível avançar para o norte do país e tomar a Alemanha. Montese fica nessas redondezas.

Na região atuavam forças aliadas de vários países que lutavam contra o nazi-fascismo de Hitler e Mussolini, entre elas tropas brasileiras, com homens recrutados em vários Estados brasileiros, inclusive de Mato Grosso do Sul, que na época ainda era Mato Grosso.

Da região da Grande Dourados, foram convocados mais de 100 soldados, dos quais somente na cidade de Dourados, dois ainda estão vivos e com mais de 80 anos de idade.

Para ir à guerra os brasileiros haviam recebido um treinamento muito básico, três meses, quando o normal era pelo menos nove meses. Já no final da guerra, os alemães recuaram para o norte da Itália e os brasileiros foram coroados com a rendição em abril de 1945 de mais de 14 mil alemães em Fornovo, também na Itália.

Após a guerra os soldados voltaram para casa, tinham ficado quase um ano combatendo juntos. Os oficiais da FEB tiveram contato com as idéias militaristas norte-americanas e queriam mudanças na política brasileira. Esses Oficiais foram em sua grande maioria os golpistas de 1964. A Ditadura durou até 1985.

Já ao soldado simples, coube voltar à vida normal, ser professor, agricultor, servidor público, ocupando as mais variadas ocupações sem ter direito nem mesmo à uma pensão ou à assistência psicológica.

A primeira pensão só foi paga já na década de 80, quase 40 anos depois do final da guerra. Ex-combatentes morreram sem ver seu direito sendo cumprido. Hoje sequer eles são lembrados. Em Dourados, por exemplo, não há nada que lembre a FEB e as comemorações quando acontecessem, ficam restritas aos quartéis.

Assista a Websérie:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s