Exército divulga gastos com a “memória da FEB” na Itália: não há verbas específicas

O Exército divulgou os valores investidos em divulgações da instituição na Itália nos últimos dez anos. As informações foram conseguidas graças à Lei de Acesso à Informação e visavam saber especificamente, quanto era investido na divulgação da FEB.

Cerimônia em Montese, em abril de 2021 (Foto: Exército Brasileiro)

Porém, tal pergunta não pode ser respondida, uma vez que, segundo o Exército, “não existiram recursos alocados para uma divulgação específica da FEB na Itália, mas sim para divulgar a instituição Exército Brasileiro e sua história, que enquadra a Campanha da FEB, junto às sociedades italiana e brasileira. Nesse sentido, foram investidos uma média anual, aproximada, de dois mil dólares americanos, no último decênio” (aproximadamente R$ 10.830,00 [em valores atuais]). Da mesma forma que não foram destinadas verbas direcionadas exclusivamente para a divulgação da FEB, também “não existiram ações para uma divulgação específica” da Força.

Outros US$ 2.500,00 por ano, foram usados para “manutenção e preservação do patrimônio arquitetônico, histórico e natural do Monumento Votivo Militar Brasileiro de Pistoia”. O antigo cemitério brasileiro recebeu uma média de 100 pessoas por mês, entre brasileiros e italianos, da segunda quinzena de setembro de 2019 até o início da pandemia de COVID-19.

Principais ações

Cerimônia em Pistoia em 2018 (Foto: Exército Brasileiro)

Por fim, foi perguntado o seguinte: quais as ações realizadas pela Aditância do Exército na Itália, para a divulgação da FEB nos últimos 10 anos? A resposta foi que deveriam ser ressaltadas as “atividades promovidas pela Embaixada, com o apoio da Aditância Militar, como as cerimônias cívico-militares no Monumento Votivo Militar Brasileiro (MVMB) de Pistoia, nos dias 7 de junho (data da inauguração) e 2 de novembro (dia dos mortos) e as exposições realizadas na Embaixada do Brasil em Roma, que ocorrem geralmente na semana da liberação da Itália, no mês de abril”.

Exército tem mais gastos com equipe do que com divulgações da FEB

São três os principais cargos da Aditância Militar brasileira na Itália, conforme site institucional dos militares: adido, auxiliar do adido e assessor do adido, onde hoje estão um coronel, um tenente e subsubtenente. Fora eles, há ainda um motorista e uma secretária. Apenas o assessor do adido não fica em Roma, dando expediente em Pistoia. Os cargos existem desde 1964.

Os três militares, por prestarem serviço fora do país receberam juntos, na soma total, aproximadamente US$ 14.914 [cerca de R$ 80.684,00] em verbas indenizatórias, somente no mês de março deste ano (último mês informado no Portal da Transparência). As verbas indenizatórias podem variar de valores a cada mês, mas, acabam por serem gastos fixos previstos em lei, mensalmente. O salário fixo dos militares não foi levado em conta, mas, também é pago em dólares americanos.

um comentário

  • Mais um pouco e depender dos cálculos, posso dizer que gasto mais com a divulgação da FEB do que o próprio governo, e essa situação é a mesma para outros entusiastas.
    Assusta conhecer a verba da manutenção do Monumento Votivo – é praticamente nada.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s