Historiador compartilha fotos para pesquisas sobre Monte Castello

O pesquisador César Campiani, que é doutor em História e escritor de importantes obras sobre a Força Expedicionária Brasileira – FEB, tais quais “Barbudos sujos e fatigados”, “Onde estão nossos heróis” e “Brazilian Expeditionary Force in World War II” (além de ter inúmeros artigos e publicações sobre a participação brasileira na II Guerra e sobre história militar), enviou fotos sobre Monte Castello. Algumas fotos fazem parte do acervo da Fundação Getúlio Vargas (outras são da coleção particular dele) e até já haviam sido publicadas aqui no site e na página V de Vitória (@vdevitoriabr), porém, com qualidade baixa. As fotos de César, estão com melhor resolução e podem auxiliar pesquisadores sobre o tema. Veja:

Sobre as fotos enviadas por Campiani

Helton Costa, que é jornalista e doutor em Comunicação, defende que as imagens teriam sido feitas em 23/02/1945. Isso porque, sabe-se que no dia 22 de fevereiro, poucas horas após a conquista de Monte Castelo, enquanto combates ainda se desenvolviam nas redondezas da localidade, e enquanto bombas ainda caíam perto da crista da elevação, o correspondente Joel Silveira e outros colegas da imprensa estiveram visitando as linhas brasileiras. Na ocasião, ele esteve com soldados e oficiais do 1º Regimento de Infantaria, para colher depoimentos e escrever uma matéria. Falou principalmente com os comandantes de batalhões.

No dia 23 de fevereiro, Joel esteve novamente e é dessa data que, segundo Helton, podem ser as fotos que foram enviadas por Cesar Campiani. Tal afirmação se dá pelas palavras de Joel, que cita um cadáver decapitado, foto que consta na relação enviada por César Campiani. Escreveu o jornalista no livro “História de Pracinhas”, de 1946, na página 241:

“Em um dos setores brasileiros, vi muitos cadáveres alemães retirados das posições conquistadas pelos Pracinhas, estando um deles decapitado. Encontramos também alguns corpos de soldados nossos, conservados pela neve e que foram abatidos pelo inimigo na tentativa da conquista do Castello no dia 12 de dezembro do ano passado”.

O alemão decapitado, do qual falou Joel. Foto enviada por César Campiani.

Com a foto enviada por César Campiani, foi possível confirmar que o reverendo Soren estava mesmo em Monte Castello, apontando o corpo minado de um alemão. (Fotos da FGV e da 1ª Igreja Batista):

Outras fotos

E aproveitando o ensejo, buscamos outras fotos sobre Monte Castello e que estão disponíveis na Internet, na Fundação Getúlio Vargas e no Arquivo Nacional. Se você tiver alguma que não conste na nossa relação, pedimos que compartilhe. Confira:

Fotos da Fundação Getúlio Vargas (que completam a sequência de César Campiani)

Outras fotos sobre Monte Castello, de origens diversas:

Por Helton Costa e César Campiani.

2 Comentários

  • Meu pai, Aristides Tissot, foi ferido com estilhaços de granada, na tomada de Monte Castelo. Att Jorge Tissot

    Curtir

  • Muiyo interessante. O que chama a atenção no campo de batalha dos soldados brasileiros é a escassa vegetação tornando os soldados alvos fáceis para os snipers alemães! Campo rako de vegetação e muita pedra!

    Curtir

Deixe uma resposta para Jorge Tissot Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s